Vinho Pêra-Manca Tinto Safra 2014

Código: 4854 | Ref: 4112
Foto ilustrativa do produto. No momento do envio, poderão ocorrer mudanças de rótulo ou arte. Consulte as especificações do produto ao lado e abaixo para obter as informações atualizadas sobre este item.
Veja nosso produto:Vinho Pêra-Manca Tinto Safra 2014em detalhes:
Código: 4854 | Ref: 4112
(último disponível)
Por: R$
ou x de R$ sem juros
Ver parcelamentos
Simule o frete para sua região
Calculando frete por favor aguarde...
Avise-me quando este produto chegar
Gravando...
Falha ao gravar
E-mail gravado.

Descrição

Pêra-Manca é a marca que a Fundação Eugénio de Almeida destina aos seus vinhos de excepção. Os vinhos tintos são produzidos a partir das castas Trincadeira e Aragonez. São vinhos encorpados, complexos e elegantes, com aroma a passas de frutos e essências das madeiras de estágio. Devido à grande qualidade dos taninos e madeiras utilizadas, são vinhos que apresentam grande longevidade, necessitando de algum tempo para revelar todo o seu potencial.

A História do Pêra Manca

Pêra-Manca é a marca que a Fundação Eugénio de Almeida dedica aos seus vinhos de excepção. A sua qualidade é sobejamente conhecida, sendo um vinho de referência no mercado português e também nos mercados internacionais.
De acordo com a tradição, o nome de Pêra-Manca deriva do toponímico "pedra manca" ou "pedra oscilante" - uma formação granítica de blocos arredondados, em desequilíbrio sobre rocha firme. Reza a história que a tradição do vinho Pêra-Manca remonta à Idade Média. Reza também a história que por volta de 1365, Nossa Senhora terá aparecido em cima de um espinheiro a um pastor. Alguns anos depois, foi edificado um oratório em sua honra e em 1458, dada a crescente importância do local como ponto de peregrinação, uma igreja. A posterior fundação de um Convento, que viria albergar a Ordem de S. Jerónimo seguiu-se-lhe. E, nos séculos XV e XVI, os vinhedos de Pêra-Manca eram propriedade dos frades do Convento do Espinheiro. Em 1517, os frades do Convento do Espinheiro foram obrigados a arrendar esses vinhedos - por ser muito dispendioso o seu trato - a Álvaro Azedo, escudeiro do Rei e a sua mulher, Filipa Rodrigues. Deles, fala D. João II, numa carta à Câmara de Évora.

A fama do Pêra-Manca permitiu que acompanhasse muitas naus da Índia no tempo dos Descobrimento. Foi ainda este o vinho que Pedro Álvares Cabral transportou em suas naus quando chegou ao Brasil.
Foi recuperado no século XIX pela próspera Casa Soares, propriedade do Conselheiro José António d'Oliveira Soares, que o transformou num vinho sofisticado. Contudo, na sequência da crise filoxérica, a Casa Soares deixou de produzir o Pêra-Manca. Foi o herdeiro da extinta Casa Soares, José António de Oliveira Soares, quem, no ano de 1987, ofereceu o nome à Fundação Eugénio de Almeida, que passou a utilizar como rótulo a adaptação de um cartaz publicitário desenhado por Roque Gameiro.

Procurando um produto de particular mérito que estivesse à altura da excelência associada à sua denominação, a Fundação produziu o primeiro Pêra-Manca tinto, em 1990. Desde então foram apenas produzidos mais nove, em 1991, 1994, 1995, 1997, 1998, 2001, 2003, 2005 e 2007, este acabado de lançar no mercado. Esta exiguidade é justificada pelo elevado grau de exigência na selecção das colheitas que só poderão ser, naturalmente, de qualidade excepcional. As uvas, a partir das quais se produz o Pêra-Manca, são provenientes de vinhas com mais de 25 anos, de talhões seleccionados. O tinto é produzido a partir das castas Trincadeira e Aragonez e o branco tem como base as castas Antão Vaz e Arinto. Com o lançamento da colheita de 2003, a imagem tradicional e colorida do rótulo do Pêra-Manca foi alterada.

Prêmio Excelência
O vinho Pêra-Manca tinto 2010, da Adega Cartuxa, Fundação Eugénio de Almeida, foi distinguido, pela Revista de Vinhos, com o Prémio Excelência, o mais alto galardão atribuído pela publicação especializada.
O evento, já conhecido como os "Óscares do vinho em Portugal", consagrou os melhores vinhos nas categorias de Prémios de Excelência (vinhos excecionais, os melhores entre os melhores); Melhores de Portugal (selecionados das várias regiões vinícolas do país) e Melhores Compras (vinhos com boa relação qualidade /preço). O Pêra-Manca tinto 2010 foi um dos apenas 30 vinhos a integrar a lista de elite, num total de mais de 2.000 vinhos avaliados. Os vencedores foram anunciados numa cerimónia que decorreu, em 14 de Fevereiro/2014, no Campo Pequeno, em Lisboa, onde foram ainda distinguidas personalidades e instituições que se diferenciaram em 2013 na área dos vinhos e gastronomia.

Especificações do Produto

Contém Glúten
Não.
Conteúdo
750ml.
Graduação Alcóolica
14%.
Harmonização
Frutos do Mar.
Peixes.
Origem
Portugal.
Região
Alentejo.
Tipo de Rolha
Cortiça.
Uva
Arinto.
Antão Vaz.

Veja mais produtos em

Avaliação de Clientes

5 de 5
1 avaliação de cliente
  • 5 estrelas 100%
  • 4 estrelas 0%
  • 3 estrelas 0%
  • 2 estrelas 0%
  • 1 estrelas 0%

Este site utiliza tecnologias como cookies para melhorar sua experiência de acordo com nossa política de privacidade. Ao permanecer navegando, você concorda com estas condições.

Estamos ocupados atualizando nossa loja para você e voltaremos logo.

Whatsapp